Advogado investigado por agiotagem doou mais de R$ 20 mil ao prefeito de Cururupu

Advogado-Ronaldo-Ribeiro

O Enrolado Ronaldo Ribeiro

O advogado Ronaldo Henrique Santos Ribeiro, acusado pela Justiça Estadual de ser o braço jurídico das quadrilhas de agiotas do Maranhão, fez uma doação de R$ 20.700,00 (vinte mil e setecentos) para a campanha política do prefeito de Cururupu, José Carlos de Almeida Júnior, o Junior Franco (PMDB) nas eleições de 2012. As informações estão disponíveis ao público no site do Tribunal Superior Eleitoral (www.tse.gov.br).

LIGAÇÕES PERIGOSAS: braço jurídico da agiotagem fez doações para prefeito de Cururupu

LIGAÇÕES PERIGOSAS: braço jurídico da agiotagem fez doações para prefeito de Cururupu

O que chama atenção nisso, não é apenas o valor da doação, mas, a relação entre financiador e candidato. A contribuição do advogado investigado por agiotagem ao prefeito Junior Franco foi feita no dia 06 de novembro de 2012, com depósito em espécie. Ronaldo é um dos suspeitos de integrar o consórcio formado para assassinar o jornalista Décio Sá, em abril de 2012. Em abril de 2013, durante as audiências de instrução do processo referente ao assassinato do jornalista, no Fórum do Calhau, o advogado só não participou das oitivas porque obteve um habeas corpus e conseguiu protelar seu depoimento.

ABERTURA DOS INQUÉRITOS

Desde a morte do jornalista Décio Sá, uma rede de agiotagem tem sido desvendada pelas investigações. Nos inquéritos já foram citados prefeitos, parlamentares, um policial federal e um secretário de Estado. Entre os 13 nomes que constam no indiciamento, quatro ainda permanecem em sigilo. Em visita à Assembleia Legislativa, no inicio deste mês, o secretário Estadual de Segurança Pública, Jefferson Portela, anunciou a reabertura do inquérito que investiga a prática de agiotagem no interior do estado. A reabertura dos trabalhos também foi confirmada pela Polícia Civil do Maranhão, através do delegado-geral, Augusto Barros, que em entrevista a uma emissora de rádio local, afirmou que a polícia verificou que a rede de agiotagem continua atuando “fortemente” em várias prefeituras. Ele afirmou ainda que uma comissão formada por três delegados deu início às atividades para avançar a investigação sobre o envolvimento de 41 gestores e ex-gestores municipais em crimes de agiotagem entre 2009 e 2012. Os trabalhos da comissão serão acompanhados pela Delegacia Geral da Polícia Civil, pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. Coincidentemente, a prefeitura de Cururupu comandada pelo prefeito que recebeu doação do braço jurídico das quadrilhas de agiotas, é uma das que aparece na lista de prefeituras maranhenses investigadas.

MAIS ESCÂNDALO

Ainda essa semana o blog vai trazer uma postagem mostrando a relação do advogado com outras prefeituras. Aguardem!

1 comentário

Deixe o seu comentário