• 16 de março de 2015
  • 0

Mensagens sugerem influência política em decisões do TRE

Assim como ocorreu em todo o processo de cassação do mandato do então prefeito de Raposa, Clodomir Santos, quando partidários da comunista Talita Laci usaram as redes sociais para comemorar antecipadamente um julgamento favorável à atual prefeita, numa última expectativa de Clodomir voltar ao mandato, no âmbito do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o cenário volta a se repetir.

Parentes da prefeita, aliados e até novos funcionários da prefeitura alardeiam abertamente que o Recurso Especial, de autoria de Clodomir, para recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) será engavetado pela corte eleitoral maranhense.

VEJA TAMBÉM:
Comentário na Raposa diz que TRE-MA vai ‘engavetar’ Recuso contra prefeito cassado
PF deve investigar se houve tráfico de influência em processos julgados pelo TRE-MA
Denúncia reforça acusação de escândalo no TRE-MA
Deputado pode ser pivô de escândalo no TRE-MA

No período próximo do julgamento que cassou Clodomir, as declarações dos partidários, dando como certos os resultados favoráveis á comunista na corte eleitoral, foram exaustivamente replicadas em vários perfis de redes sociais.

Eles alegavam antecipadamente a vitória em virtude da suposta força política e econômica do principal aliado de Talita Laci na Justiça do Maranhão, o deputado Edilázio Junior, genro da desembargadora Nelma Sarney.

Em uma das postagens, um partidário revela que “Edilázio é o homem forte dos tribunais” e que o resultado seria igual ao placar de “Brasil e Alemanha, goleada” (veja no print abaixo).

De fato, o resultado do julgamento foi de goleada. Em 9 de fevereiro, por um placar elástico de 4 a 1 os membros do TRE confirmaram a sentença proferida pelo juiz da 93ª zona que cassou o mandato do Clodomir Santos.

Já com relação ao direito de Clodomir recorrer ao TSE, o irmão de um secretário da atual prefeita afirma que o ex-prefeito teria utilizado R$ 450 mil para tentar um “recurso em Brasília”, mas teria sido “recusado devido a uma assinatura que a desembargadora Nelma Sarney [sogra do deputado Edilázio] colocou” (conforme print abaixo).

São inúmeras as afirmações comprometedoras em todos os momentos do processo, desde os primeiros trâmites na 93ª zona até a etapa atual, o suficiente para os membros da Justiça do Maranhão ficar de olhos bem abertos para que não tenham ainda mais suas imagens arranhadas, sobretudo depois que o deputado federal Hildo Rocha fez graves acusações na tribuna da Câmara Federal alegando suposta compra de votos na corte maranhense.

Com informações do Gazeta da Ilha

Deixe o seu comentário