• 9 de abril de 2015
  • 0

Quatro dias após resgate, muro continua sem cerca

Continua sem cerca elétrica o muro do Centro de Detenção Provisória (CDP) do Complexo Pentenciário de Pedrinhas, por conde quatro presos escaparam no último domingo (5). Em setembro de 2014, uma caçamba derrubou foi usada derrubar o muro e dar fuga a seis presos. Apesar do muro ter sido reconstruído, a cerca de proteção não foi instalada novamente.

No domingo, oito homens chegaram em três carros e atiraram contra as guaritas de segurança do Centro de Detenção Provisória. Os vidros das guaritas também não foram substituídos. Após serrar as grades, quatro detentos usaram uma corda escapar do complexo e fugiram com o grupo armado. Ninguém foi capturado até o momento.

Relatório
Segundo o relatório do Comando de Policiamento Especializado (CPE), o resgate dos quatro presos do Centro de Detenção Provisória (CDP) poderia ter sido evitado pelas secretarias de Administração Penitenciária e de Segurança Pública. O documento chamado de “Operação Pedrinhas” relata em ordem cronológica os detalhes da ação realizada pelo Batalhão de Choque da Polícia Militar.

Em um trecho, o relatório mostra que, às 2h44, o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) alertou sobre o plano de ataque após ter conseguido informações privilegiadas com um informante localizado dentro do CDP. Quatorze minutos depois, os policiais começaram o monitoramento dos criminosos. Mesmo tendo a posição do grupo armado, não foi possível evitar o ataque. Pelo relatório, apenas uma equipe estava posicionada em frente ao CDP quando os bandidos chegaram.

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão assumiu que houve falha na operação, afirmando que o resgate dos detentos estava sendo monitorado horas antes da ocorrência. No entanto, um erro operacional impediu os policiais de evitarem a fuga. (Do G1 MA)

Deixe o seu comentário