• 16 de maio de 2015
  • 0

“Não precisei de recursos alheios para fazer campanha”, diz Dalton ao negar envolvimento com agiotagem

O advogado Dalton Hugolino Arruda de Sousa negou, ontem (15), envolvimento com agiotagem. Em contato com o blog, Arruda afirmou que o cheque em seu nome encontrado pela Polícia Civil no cofre do agiota Josival Cacalcante da Silva, o Pacovan, foi proveniente de um contrato de compra e venda de um imóvel.

— Em respeito aos meus eleitores, amigos e clientes, esclareço que o cheque encontrado com o empresário Josival foi proveniente de um contrato de compra e venda de um imóvel localizado no bairro do Calhau, em São Luís, de propriedade de Josival que eu estou adquirindo — informou.

O advogado afirmou ainda que, não é gestor de verbas públicas nem tampouco está sendo investigado em qualquer operação que seja. Ele declarou que não tem nada a ocultar.

— Nesta operação, sou apenas advogado de defesa do senhor Josival, juntamente com Charles Dias. Estou acompanhando os dois desde o momento da prisão e não tenho nada a ocultar ou esconder — esclareceu.

Em 2014, Dalton disputou uma vaga à Câmara Federal e, mesmo sem padrinho politico, obteve 20.470 votos, se tornando, inclusive, uma das revelações do pleito de outubro passado.

— Tive uma campanha simples, fruto do esforço dos amigos, parentes e clientes. A minha votação nas urnas foi fruto do esforço de amigos, parentes e correligionários não precisei de recursos alheios para realização da mesma — declarou.

Deixe o seu comentário