• 26 de outubro de 2016
  • 0

Humilhação nas urnas faz prefeito instalar caos em São João Batista

fabricioO prefeito interino de São João Batista, Fabrício Costa Correa Júnior, o Júnior de Fabrício (PPS), obteve nesta eleição, míseros 11 votos equivalente a 0,07% do eleitoral joanino. Foi a pior votação de um gestor no cargo na historia politica do Maranhão. A humilhação escancarou a crise sem precedentes naquele município que vive um momento histórico e raro: o ápice da pior administração que passou pela cidade.

Além de agravar a crise administrativa na cidade, a derrota eleitoral aumentou ainda mais o ‘desastre’ de um gestor no comando daquela Prefeitura. Pior: o responsável pelo caos, Júnior de Fabrício, queria ser ‘reeleito’ em outubro. Com uma ganância eleitoral insaciável, ele tentou aproveitar a oportunidade que saiu da condição de ‘vice-decorativo’, para virar prefeito de fato, mas sua curta gestão foi suficiente para convencer a população de sua falta de capacidade para continuar administrando a cidade. Dos oito candidatos que disputaram a eleição este ano na cidade, Fabrício ficou na ultima posição.

Movido por uma ira irracional, o prefeito interino resolve destilar todo seu arsenal mortífero contra o povo joanino. Exemplo mais que comprovado, são os atrasos nos vencimentos dos funcionários públicos municipais que, inclusive, estão sem ver a cor do dinheiro há meses.
Tem gente que não aguenta tanta pressão e resolve botar a boca no trombone, ou seja, denunciar que estão vivendo um caos sem precedentes em toda a história do município. O que se sabe, é que após a derrota humilhante, nas eleições deste ano, Júnior de Fabrício parece que perdeu o controle de suas faculdades morais e mentais, está vendo inimigos por todo lado e consequentemente destilando sua ira pelos quatro cantos da cidade.

Nestes últimos dias de seu desgoverno, ele resolveu arbitrariamente cancelar contratos, ameaçou contratados de demissão, fez novas licitações e começou a dá calote em fornecedores. O prefeito ‘humilhado nas urnas’ pretende aprontar a mais hedionda das desventuras: deixa como herança maldita máquinas e equipamentos da Prefeitura sucateados. Os entulhos de ferro velhos se acumulam, se transformando em um paraíso para mosquitos da dengue, ratos e animais peçonhentos.

A sujeira metálica é tanta, que nem mesmo os ratos querem mais fazer ninho no local. Um verdadeiro raio-x do desgoverno de Júnior de Fabrício, que em três meses, fez São João Batista regredir a um patamar bastante inferior.

MEDIDA CONTRA DESMONTE
Para evitar um desmonte maior, o promotor de justiça Felipe Augusto Rotondo resolveu agir. O representante do Ministério Público vai realizar uma Audiência Pública com a população de São João Batista para discutir a situação de atrasos de salários e acúmulos de cargos na Prefeitura Municipal.

Segundo o comunicado que já foi noticiado na imprensa da região, a Audiência Pública será realizada no próximo dia 1º de novembro, na Colônia de Pescadores. Outras medidas também serão tomadas para garantir uma “transição legal” visando ajudar o gestor eleito dá inicio ao mandato 2017/2020.

Deixe o seu comentário