• 8 de novembro de 2016
  • 0

Arturo Júnior usou influência do tio para expandir negócios com precatórios

 

Arturo Júnior pode ser preso e ter bens bloqueados a qualquer momento.

Arturo Júnior pode ser preso e ter bens bloqueados a qualquer momento.

O advogado Jorge Arturo Mendoza Reque Júnior, apontado pelo Ministério Público do Estado do Maranhão (MP-MA) como um dos operadores da organização criminosa que causou um prejuízo de R$ 410 milhões aos cofres públicos, por meio de fraude em concessão de isenções fiscais feitas pela Secretaria de Estado da Fazenda a empresas, aproveitou sua proximidade com o então governador Jackson Lago (PDT) para expandir negócios no governo do tio e tentar ganhar dinheiro com a prática de precatórios ilegais.

Documentos que vazaram na internet contêm pistas que podem ajudar nas investigações sobre o caso, já que existem fortes indícios de que o esquema venha ocorrendo desde 2008. Foi com base nessas informações que o blog resolveu se aprofundar no assunto e descobriu pistas sobre as ligações do principal operador com o governo e várias prefeituras.

parecer-1-e1478538673682

Documentos revelam pistas sobre a influência do operador da máfia fiscal no governo.

Documentos revelam pistas da influência do operador da máfia fiscal no governo desde 2008.

O blog apurou e descobriu que Jorginho, como é conhecido, é ex-vereador em Santa Inês e filho do médico boliviano radicado no Brasil, Jorge Arturo Mendoza Reque. Conhecido entre seus pacientes como Dr. Arturo, ele foi casado por dois anos com Angélica Lago, irmã do ex-governador Jackson Lago e desta relação nasceu Arturo Júnior. No entanto, na década de 70, por ciúmes, o médico boliviano acabou assassinando a esposa e ficou preso por alguns anos.

VEJA TAMBÉM:
Operador da “Máfia Fiscal” pode ser preso e ter bens bloqueados a qualquer momento
Organograma detalha funcionamento do esquema de precatórios ilegais para compensações fiscais
OAB-MA silencia sobre advogado apontado como operador da Máfia Fiscal
Jorge Arturo Júnior e Akio Valente eram sócios de empresa ligada à Máfia da Sefaz
Madrasta de advogado usada com laranja emprestava contas para depósitos de precatórios
Advogado é suspeito de ser “braço jurídico” da “Máfia Fiscal” no Maranhão

Órfão de mãe e com o pai na prisão, o menino que mais tarde se tornaria advogado, cresceu então ao lado da família materna na companhia do seu tio, Jackson Lago que por três ocasiões (1989-1992, 1997-2000 e 2001-2002), foi prefeito de São Luís.

Dr. Arturo, pai de Arturo Júnior, foi casado com uma irmã de Jackson Lago.

Dr. Arturo, pai de Arturo Júnior, foi casado com uma irmã de Jackson Lago.

A influência de Jorginho no Governo do Estado e Prefeitura de São Luís não é de agora, vem desde o governo do tio tanto no comando do Estado quanto na Prefeitura da capital. Entretanto, mesmo com a cassação do mandato do tio, no dia 2 de março de 2009, as ligações entre Arturo Júnior com o governo do estado e Prefeitura de São Luís não pararam.

Quando Roseana Sarney (PMDB) reassumiu o comando do estado, ele continuou tocando os negócios com precatórios, pois tinha feito boas amizades no governo, já que a esposa dele é filha de um figurão que tinha acesso direto ao principal gabinete do Palácio dos Leões, na época em que a filha de José Sarney era governadora.

Em 2008, operador atuou como braço jurídico de empresas ligada a máfia fiscal.

Em 2008, operador atuou como braço jurídico de empresas ligada a máfia fiscal.

Por tanto, o blog descobriu que não foi só no governo Roseana que Arturo Júnior faturou alguns milhões. O esquema é muito mais antigo e vem desde 2007 no Governo do Estado e bem antes disso na Prefeitura. O operador é protegido do ex-secretário Aziz e de todos os irmãos Lago. Ou seja, existem muito mais coisas para serem descobertas. O que consta nas denúncias do Ministério Público sobre o esquema de fraude não é nem 10% do que pode ser desvendado ainda. Pouco a pouco o blog vai revelar detalhes dessa história.

LIGAÇÕES PERIGOSAS
Mas qual a ligação de Arturo Júnior com o secretário Estadual de Transparência, Rodrigo Lago, filho do ex-deputado Aderson Lago, que é primo do ex-governador Jackson Lago? Será se Rodrigo Lago, principal pivô do escândalo que motivou à denúncia do Ministério Público, sabia que a auditoria promovida pela pasta que comanda iria colocar como principal operador do esquema um de seus parentes? Os detalhes desses e outros assuntos o blog vai revelar em breve. Aguardem!

Deixe o seu comentário