• 13 de dezembro de 2016
  • 0

Weverton disputará Senado com apoio de rejeitados

Rejeitados nas urnas querem Weverton no Senado.

Rejeitados nas urnas querem Weverton no Senado.

O grupo que está articulando a pré-candidatura do deputado Weverton Rocha (PDT) como opção para o Senado é formado, em sua maioria, por lideranças politicas que foram rejeitadas nas urnas nas eleições deste ano.

Somando os políticos que integram o coletivo “Weverton Senador”, apenas 10,2% conquistaram sucesso nas urnas. Os outros 89,8% foram rejeitados pelo eleitorado ou ganharam status de “suplentes” ou ficaram na “segunda colocação” na disputa majoritária.

O prefeito reeleito de Timon, Luciano Leitoa (PSB) e a médica Vianey Bringel (PSDB) que faturou a prefeitura de Santa Inês com 78.92% dos votos válidos, talvez sejam uma das poucas exceções entre os líderes que apoiam o nome do deputado para disputar uma das duas vagas no Senado.

O vereador de São Luís, Osmar Filho (PDT), por exemplo, é um dos integrantes do grupo. Apesar de ter sido eleito o mais bem votado da capital em termos proporcionais, Osmar Filho é um vereador rejeitado entre os colegas na Câmara.

Originário do chamado “baixo clero” do Parlamento Municipal, Filho é visto pelos colegas como um político hesitante, fraco, sem capacidade de decisão e sem poder de articulação. É apenas um playboyzinho que, na visão dos parlamentares mais experientes, ganhou o mandato de presente do pai, o juiz Osmar Gomes.

O grupo também é formado por políticos que concorreram nas eleições municipais do dia 2 de outubro, mas tiveram resultados nada animadores. Alguns até ‘venceram’ e chegaram ao ponto de comemorar a ‘vitória’ vergonhosa.

É o caso do prefeito Hernando Macedo (PCdoB), que foi candidato à reeleição e aparece como ‘eleito’ no site do Tribunal Superior eleitoral (TSE) com 6.026 votos, mas nas urnas quem venceu a disputa foi Alexandre Costa (PSC), que recebeu 7.997 votos dos eleitores da cidade. Entretanto, como teve sua candidatura indeferida com recurso, o candidato do PSC não foi declarado eleito, mesmo tendo superado o adversário numa diferença de quase dois mil votos.

Outra figura de destaque no grupo é o prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim (PDT). O apoio de Cutrim à Weverton é mais um fator que contribui para desgastar o pedetista, na avaliação de analistas políticos. É que o ‘por enquanto’ prefeito ribararense é o campeão de rejeição entre os gestores da Região Metropolitana, com índices que chegam a 86%.

A situação é tão grave que Luís Fernando (PSDB), prefeito eleito da cidade balnearia, preferiu se manter distante do pedetista ribamarense, pois a presença de “Cupim”, como é mais conhecido o atual gestor daquele município, em seu palanque iria mais atrapalhar do que ajudar no projeto de retornar à prefeitura daquela cidade.

“Diga-me com quem andas e te direi quem és!” Esta frase se encaixa perfeitamente para definir o grupo de apoio à pré-candidatura do deputado Weverton Rocha ao Senado.

Leia mais notícias em blogdoantoniomartins.com e siga nossa página no Facebook. Envie fotos, denúncias e informações ao blog por WhatsApp pelo telefone (98) 99158 6766.

Deixe o seu comentário