• 28 de Março de 2015
  • 0

Escutas da PF mostram conversas entre Waldir Maranhão e doleiro da Lava Jato

waldirO vice-presidente da Câmara Federal, deputado Waldir Maranhão (PP), não vive um dos melhores momentos na carreira politica. Além de enfrentar processo referente às eleições de 2010, no Tribunal Regional Eleitoral que pode torná-lo inelegível, o parlamentar é investigado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no inquérito que apura a sua participação no esquema investigado pela operação Lava Jato, que investiga irregularidades na Petrobras.

Para piorar ainda mais sua situação, a Polícia Federal dispõe de várias conversas telefônicas em que deputados federais conversam com o doleiro Fayed Treboulsi, apontado pelos investigadores como chefe da quadrilha que aliciava prefeitos para o desvio de dinheiro de fundos de pensão municipais.

Nas gravações, o deputado Waldir Maranhão convida para a casa dele o doleiro Fayed. “Marquei com ele terça-feira outro encontro lá em casa, à noite”, diz o deputado durante conversa com o doleiro. O caso foi alvo de reportagem recente na Rede Record de Televisão, no Programa Conexão Record, apresentado pelo jornalista Roberto Cabrini.

Fayed questiona: “lá em casa onde, aqui ou lá? Aqui em Brasília?”. E o deputado responde: “É. Aqui no meu apartamento”. O doleiro encerra a conversa dizendo: “então beleza. Tamu junto (sic)”.

Abordado nos corredores do Congresso, o deputado Waldir Maranhão negou qualquer telefone ou relação com o doleiro. “Nunca tive contato. Em absoluto”, disse.

Além do parlamentar maranhense, também foram investigados Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Eduardo Gomes (PSDB-TO). Maranhão afirmou que nunca teve contato com o doleiro Fayed Treboulsi, apontado pela PF como chefe do esquema. Os outros dois deputados federais negaram vínculo com fraudes.l, por causa do foro privilegiado de parlamentares federais têm.

Deixe o seu comentário