• 7 de Maio de 2015
  • 0

Prefeita evita reunião com professores grevistas de Bom Jardim

lidianeO caos na educação básica do Maranhão se estende ao município de Bom Jardim, onde professores grevistas reivindicam reajuste salarial em 13% (valor passaria de R$ 1.697,37 para 1.917,78), cobram a garantia de merenda escolar e material didático além de criticarem a superlotação das salas e escassez de professores da cidade. Uma nota de repúdio com as alegações em referência foi emitida pelos professores no último dia 3 de maio e direcionada à prefeitura do municipal.

A prefeita Lidiane Lidiane Leite, por sua vez, parece evitar o contato com os professores já que desde de dezembro de 2014, o grupo tenta reunião com a gestora. “Tentamos conversar de todas as formas, mas ainda não tivemos uma resposta positiva”, afirmou a presidente do Sindicato dos Professores de Bom Jardim (Sinprobem), professora Elisângela Rodrigues.

Justiça

O juiz Raul José Duarte Goulart Júnior, titular da Comarca de Bom Jardim, alegou que a prefeita prestou informações falsas com o objetivo de tentar demonstrar o regular cumprimento das determinações judiciais, em dezembro de 2014. Dois meses antes, o “Bom Dia Brasil” mostrou que os alunos estavam sendo liberados mais cedo em razão da falta de merenda e estrutura no município. A situação foi classificada como “absurda”.

Desde 2013, o Ministério Público Estadual já entrou com sete ações civis públicas contra Lidiane, que chegou a ser retirada do cargo, mas conseguiu retornar pouco tempo depois com a ajuda de uma liminar obtida no plantão judicial do TJ/MA, assinada pela desembargadora Cleonice Freire.

Há menos de seis meses a Justiça do Maranhão determinou que a chefe do executivo municipal fosse afastada do cargo por 180 dias.

Sobre repasses

Em 2015, o município recebeu do Governo Federal, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) no valor de R$4,5 milhões. O repasse da verba foi realizado entre janeiro, fevereiro e março deste ano. Consta, ainda, no Portal da Transparência do Governo Federal, que foram destinados R$80 mil à prefeitura de Bom Jardim pelo Programa de Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica.

Em 2014, R$ 16,3 milhões foi o valor recebido pela cidade por meio de programas de investimento na educação, como o Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate) e Infraestrutura para Educação Básica e Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica.

A população de Bom Jardim, vive um dos piores momentos políticos desde quando Lidiane Leite assumiu a Prefeitura da cidade. O ápice dos problemas no município aconteceu justamente, por problemas relacionados à educação. Há menos de seis meses a Justiça do Maranhão determinou que a chefe do executivo municipal fosse afastada do cargo por 180 dias.

Deixe o seu comentário