• 25 de Maio de 2015
  • 0

Astro de Ogum doa recursos do próprio bolso para ajudar festa do Divino de Alcântara

CAFE DA MANHA

Café da manhã onde Astro anunciou doação

“Essa é a joia que posso ofertar ao festejo do Divino Espírito Santo. Se pudesse seria um recurso maior, mas é o que disponho, no momento, para ajudar que esse festejo secular, deixado pelos nossos ancestrais, não caía no esquecimento por falta de apoio do poder publico”.

A frase foi proferida pelo presidente da Câmara Municipal de São Luís, Astro de Ogum, ao enviar R$ 10 mil reais como ajuda para o custeio da festa do Divino Espírito Santo da cidade de Alcântara, um dos maiores eventos do calendário turístico do Estado, que este ano correu o risco de não ser realizado.

No dia 28 de abril, o vereador recebeu, em sua residência, o diretor de Cultura de Alcântara, Valdecy Onildo Coelho e Kátia Maria dos Anjos Pereira, integrante da comissão organizadora daquele festejo. Os dois  foram lhe pedir apoio para a realização do evento, que teve início no último dia 13 e se encerra na segunda-feira (25).

Valdecy e Kátia destacaram que buscaram apoio de Astro de Ogum pelo fato dele, além de ser presidente de honra da Federação das Entidades Folclóricas e Culturais do Estado do Maranhão (FEFCMA), se destacar como um dos maiores incentivadores culturais do Estado e pelo magro incentivo que  dado pelo governo do Estado, através da Secretaria de Cultura.

Se mostrando decepcionados, Valdecy e Kátia relataram que, no dia 18 de março deste ano, representantes da Associação Cultural e Religiosa de Alcântara (Acra), estiveram reunidos com a secretária de Cultura, Ester Marques, buscando entendimentos sobre o apoio financeiro do Estado para com o festejo e foram surpreendidos com a resposta da dirigente cultural, que lhes afirmou que a festa de Alcântara não teria privilégios e que todo festejo referente ao Divino teria apoio padronizado.

“Estamos aqui, vereador lhe pedindo apoio, porque ficamos temerosos da festa não ser realizada. O festejo do Divino de Alcântara, segundo estudiosos, data do século XVIII, é a maior referência nesse segmento no Estado, é histórico pela sua própria natureza, e claro que merece um tratamento diferenciado, pela sua força e também por ser um dos movimentos de maior atração turística do Maranhão, sendo fonte gerador de renda”, assinalou Valdecy Onildo, durante a visita feita na casa do vereador.

“É  necessário se respeitar e cultivar as nossas tradições. Isso é a verdadeira cultura, despida de academicismo, porque é puramente popular. A Festa do Divino de Alcântara tem reconhecimento internacional pela sua força, pela sua beleza, pelo seu lirismo. Queria dar um suporte maior, mas não foi possível, e estou exortando a todos aqueles que se preocupam com a cultura popular do Maranhão, que não deixem essa grandiosa manifestação de cunho religioso e folclórico ser extinto”, disse Astro de Ogum.

 

Texto: Djalma Rodrigues

 

 

Bárbara Soeiro solicita recuperação de ruas do bairro São Cristóvão

A vereadora Bárbara Soeiro (PMN), apresentou requerimento pedindo à Mesa Diretora que envie ofício ao prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior, solicitando providências junto a SEMOSP, no sentido de viabilizar, em caráter de urgência, serviços de drenagem, terraplanagem, asfaltamento e meio-fio das ruas Caravelas e Riachuelo, localizadas no bairro São Cristóvão.

Segundo a vereadora, estas importantes artérias residenciais e com vários empreendimentos empresariais de pequeno, médio e grande porte, há décadas sofrem com a total falta de infraestrutura, gerando enormes transtornos ao considerável fluxo de pedestres e veículos que nelas transitam diariamente.

“São evidentes os inúmeros problemas gerados nesta região nos mais diferentes setores, chegando a comprometer a saúde, o desenvolvimento comercial, a urbanização e o trânsito desta área. Por isso, chamamos a atenção das autoridades públicas para que tome as medidas cabíveis”, afirmou Bárbara Soeiro.

Ela destacou ainda que rua das Caravelas constitui um importante acesso alternativo entre as avenida dos Franceses e Guajajaras,  além da BR 135, sendo, portanto,  de muito valia sua completa estruturação no que tange ao escoamento e otimização do trânsito entre tais avenidas, que apresentam picos de congestionamento constantes.

Deixe o seu comentário