• 22 de Março de 2015
  • 0

Obra que causou morte de operário foi autorizada pelo Crea-MA

Ainda não foi esclarecido o motivo do desabamento de parte de um prédio em construção, na Avenida Daniel de La Touche, em São Luís, que matou uma pessoa e deixou pelo menos cinco feridos, no fim da tarde dessa sexta-feira (20). A empresa responsável pelo edifício deve solicitar um laudo pericial às empresas responsáveis pela obra.

As placas com os nomes dos profissionais mostram que a construção, iniciada em maio do ano passado, estava legalizada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-MA). Porém, para Antônio Xavier, assessor técnico do órgão, é preciso checar se os documentos estão em dias e se o problema pode ter sido causado pelo material usado.

“Terá que ser feito uma pericia de engenharia para que possa ser descoberta a causa desse incidente. Problemas como protensão, traços de concreto, resistência do concreto, ferragens… Então, tem que se estudar o projetado com o executado em termo de estrutura de concreto armado e protendido para saber se está em conformidade com o projetado” avaliou.

 A protensão pode ser definida como o artifício de introduzir, numa estrutura, um estado prévio de tensões, de modo a melhorar sua resistência ou seu comportamento, sob ação de diversas situações. Como a concretagem do terceiro pavimento do prédio estava sendo feito durante a forte chuva, a polícia investigará se houve negligência por parte da empresa.

De acordo com Valney Abreu, advogado da empresa SPE Prisma Construções e Incorporações, dona do prédio, uma vistoria já foi solicitada ao Crea. Ele disse também que as vitimas vão receber toda a assistência da empresa. A construção está parada e com fitas de isolamento.

Relembre
Um prédio em construção desabou no fim da tarde desta sexta-feira (20), na Avenida Daniel de La Touche, na região da Cohama, em São Luís. O operário Antônio Fontenelle do Nascimento Júnior, 27 anos, que trabalhava na obra junto com outros nove colegas, morreu na hora.

A obra foi iniciada em maio do ano passado e é de responsabilidade da empresa SPE Prisma Construções e Incorporações. A estrutura caiu após as fortes chuvas que atingiram a capital maranhense durante aproximadamente duas horas. (Do G1 MA)

Deixe o seu comentário